Achei esse texto no facebook e não podia deixar de posta-lo. Não consigo deixar de pensar nesse acidente desde a primeira noticia sobre ele chegou aos meus ouvidos.

~~

paz

Morri em Santa Maria hoje.

Quem não morreu? Morri na Rua dos Andradas, 1925. Numa ladeira encrespada de fumaça.

A fumaça nunca foi tão negra no Rio Grande do Sul. Nunca uma nuvem foi tão nefasta.

Nem as tempestades mais mórbidas e elétricas desejam sua companhia. Seguirá sozinha, avulsa, página arrancada de um mapa.

A fumaça corrompeu o céu para sempre. O azul é cinza, anoitecemos em 27 de janeiro de 2013.

As chamas se acalmaram às 5h30, mas a morte nunca mais será controlada.

Morri porque tenho uma filha adolescente que demora a voltar para casa.

Morri porque já entrei em uma boate pensando como sairia dali em caso de incêndio.

Morri porque prefiro ficar perto do palco para ouvir melhor a banda.

Morri porque já confundi a porta de banheiro com a de emergência.

Morri porque jamais o fogo pede desculpas quando passa.

Morri porque já fui de algum jeito todos que morreram.

Morri sufocado de excesso de morte; como acordar de novo?

O prédio não aterrissou da manhã, como um avião desgovernado na pista.

A saída era uma só e o medo vinha de todos os lados.

Os adolescentes não vão acordar na hora do almoço. Não vão se lembrar de nada. Ou entender como se distanciaram de repente do futuro.

Mais de duzentos e quarenta jovens sem o último beijo da mãe, do pai, dos irmãos.

Os telefones ainda tocam no peito das vítimas estendidas no Ginásio Municipal.

As famílias ainda procuram suas crianças. As crianças universitárias estão eternamente no silencioso.

Ninguém tem coragem de atender e avisar o que aconteceu.

As palavras perderam o sentido.

autor: Fabrício Carpinejar

São Paulo 459 anos.

São Paulo comemora seu aniversário de 459 anos de fundação e história.
Ao longo de sua existência a cidade paulista já recebeu vários títulos, como: o Centro Cultural e de Entretenimento, Cidade Mais Rica da América do Sul, Capital Mundial da Gatronômia e muitos outros.

São Paulo foi feita para você…

Visitar o MASP

Correr no Ibirapuera

Tomar café da manha na padaria

Torcer no Pacaembu

Atravessar bem na esquina da Ipiranga com a São João

Sair de casaco de manhã

Tira-lo na hora do almoço

Ver as vitrines na Oscar Freire

Comer sanduíche de mortadela no Mercadão

Conhecer a moda descolada da Galeria Ouro Fino

Comprar flores no Largo do Arouche

Reclamar do transito

Comprar CDs na Galeria do Rock

Comer pizza

Passar à tarde no Guarapiranga

Assistir aos filmes cabeça da Mostra de Cinema

Rezar pra chover e logo em seguida rezar pra parar

Comer sushi na Liberdade

Conferir as mostras do MAM

Descobrir que gosto tem o churrasquinho Grego

Ir a um boteco na Vila Madalena

Assistir a um concerto na Sala São Paulo

Ou a um balé no Teatro Municipal

Visitar a Pinacoteca do Estado

Babar em um sofá na Gabriel Monteiro da Silva

E Acabar comprando na Teodoro Sampaio

Se benzer na Catedral da Sé

Se acabar de dançar em uma boate na Vila Olímpia

Assistir ao desfile das escolas de Samba

Curtir a noite

Revirar as lojas da 25 de Março

Ir ao Jockey e não apostar nada

Ir ao Mosteiro São Bento e assistir a apresentação de canto Gregoriano

Assistir a uma corrida no Autódromo de Interlagos

Andar de bicicleta domingo no Minhocão

Pedir pastel e caldo de cana na feira

Ver as luzes cidade do Alto do Terraço Itália

Conhecer o Pátio do Colégio, lugar onde tudo começou

Namorar no Horto Florestal

Comprar chás milagrosos no Largo da Batata

Participar da São Silvestre

Fazer umas comprinhas no Bom Retiro

Ficar espantado com o tamanho do Copan

Caminhar no Parque do Carmo

Ir ao Shopping

Ver as antiguidades da Praça Benedito Calixto

E dizer que não tem nada pra fazer nesse feriado mesmo sabendo que tem tanta coisa pra fazer na cidade..

Uma homenagem aos 459 anos de São Paulo.

(fonte: antiga campanha do Banco Itaú)


Todo mundo reclama, mas não consegue viver em outro lugar.

Parabens São Paulo pelos 459 anos. A gente saí do serio, mas não saí daqui.

paradise

Amo Coldplay e faz muito tempo!
O som deles me tira da realidade e me leva pra um lugar muito bom, que eu não sei como especificar. mas independende de ser Coldplay ou qualquer outra banda, a música tem esse poder.
Nunca sentiu?  Experimente!
Algumas músicas vão te fazer querer dançar, se mover junto com elas, outras você quer cantar tão alto a ponto de enlouquecer quem está por perto, existem as que te faz chorar, as que você escuta e sorri com a melodia, mas as duas melhores sensações são quando alguma começa a tocar e você lembra de alguem, de algum lugar, de algum momento que te fez muito bem, e você fecha os olhos e se senti naquele lugar novamente. Você pode sentir os cheiros, o vento tocando seu rosto. É como se descobrir apaixonado, mas mil vezes melhor. Talvez seja por isso que quando gosto de uma música a ouço tanto a ponto de não suporta-la mais por um bom tempo.
Esse é a primeira melhor sensação, a segunda, bem… melhor do que lembrar de coisas que já passaram, é poder se sentir num lugar que só existe pra você. No melhor do seu subconciente.
a música tem o poder de te levar pra onde você quiser ir. é só esquecer do mundo real, ouvir uma música do seu estilo e se dar o direito de ir pra onde bem entender.
O que nos move numa música não é sua letra, é a melodia, ela te embala.
A música Paradise do Coldplay, é nova, não me lembra nada que já tenha vivido, mas quando a ouço, fecho os olhos, e me sinto no meu paraiso particular, com o sol batendo no rosto, assim como o vento, começo a rodar no ritmo da melodia e uma chuva quente começa a cair no meu rosto e quando começa o refrão canto junto e sinto tudo junto, o vento, sol, chuva e derrepente parece que estou flutuando…
e então todos os problemas somem, até chegar a proxima música!

Ouvir músicas que te agrada, te da a sensação de estar dirigindo de madrugada sozinho em uma estrada do interior da Europa.

EXPERIMENTE, NÃO DOÍ!